Vista de Machu Picchu desde o Mirante
Cusco

Machu Picchu: Nossa Experiência na Cidade Sagrada dos Incas

Informações Gerais:

Quando ir: entre abril e novembro o período é de seca e por isso a probabilidade de chuvas é menor. No início do dia é comum o local estar tomado por nuvens e neblina, mas costuma dissipar até o meio do dia (este é um dado importante para você escolher o período de visita), além disso, o parque costuma estar bem cheio logo cedo. Contudo, para quem quer fazer a subida às montanhas Huayna Picchu ou Machu Picchu o único momento possível é no período da manhã.

Como chegar: as companhias Peru Rail e Inca Rail fazem o trajeto até à cidade de Aguas Calientes, também conhecida como Machu Picchu Pueblo. Na alta temporada há trens saindo de Poroy (mais próximo de cusco) e de Olantaytambo, já na baixa somente desta última. É comum que os turistas peçam para serem deixados pelos guias em Ollanta (como é carinhosamente conhecida) após o passeio pelo Vale Sagrado e dali tomar o trem. Não esqueça de comprar seu ingresso antecipadamente no site das companhias!

Há alternativas de baixo custo, que envolvem transporte de van até uma hidrelétrica e boa caminhada pela linha férrea, normalmente realizado pelos mais aventureiros. Você pode encontrar informações em sites de mochileiros.

Ingresso: podem ser comprados pela internet. A dificuldade é que é preciso que cartão de crédito tenha a verificação de compra online. É necessário fazer a aquisição com antecedência, pois a quantidade de ingressos é restrita!

Retorno à Cusco: Chegando em Ollantaytambo, já na saída da estação, há diversos motoristas oferecendo o retorno à cusco em vans (de 25 a 30 soles por pessoas) ou de táxi (cerca de 80 soles por carro). Optamos pela segunda opção em razão do conforto e segurança, já que lemos alguns relatos de viagens em van que questionavam a alta velocidade empregada e a ausência de cinto de segurança nos veículos.

Nossa experiência:

Vista de Macchu Picchu na descida para a cidade baixa
Vista de Macchu Picchu na descida para a cidade baixa

Ao fim de nosso passeio pelo Vale Sagrado com a Fabulous Tours Peru, nós pedimos para que o guia nos deixasse em Olantaytambo. Aproveitamos para fazer um lanche no Hearts Café (que estava muito bom, por sinal) e depois fomos caminhando até a estação de trens, que fica muito perto do centrinho da cidade. Se preferir, por 2 soles é possível pegar um tuktuk.

Nós já havíamos comprado os bilhetes do trem pela internet e escolhemos um horário no final da tarde para ter a certeza de que não atrapalharia os passeios do dia. O lado bom é que pudemos descansar no trem depois de um dia intenso de visitas pelas ruínas incaicas, o lado ruim é que não deu para contemplar as paisagens pois já estava escuro.

Chegando em Aguas Calientes (Machu Picchu Pueblo) um funcionário do hotel em que nos hospedamos, o Tierra Viva, nos aguardava na estação para mostrar a direção e fomos caminhando juntos. Muito prontamente já estávamos no quarto e tínhamos as informações necessárias para o grande tão aguardado passeio do dia seguinte.

Letreiro de Machu Picchu Pueblo ou Águas Calienets
Letreiro de Machu Picchu Pueblo ou Águas Calienets

Para chegar ao parque há duas formas: a pé, em uma caminhada bem puxada de e de ônibus. Nós escolhemos a segunda, pois queríamos guardar as energias para percorrer Machu Picchu.

O ingresso do ônibus é comprado a parte. Nós fizemos a reserva no site da Consettur (responsável pelo trajeto), mas não conseguimos finalizar a compra. Como estávamos em Cusco, passamos rapidamente no escritório da empresa para pagar e pegar os tíquetes. Isso pode ser feito em Aguas Calientes também, mas a chance de você pegar fila é enorme.

O primeiro parte às 5:30h da manhã, mas às 4:00h já é possível encontrar gente na fila, aguardando ansiosamente. Chegamos por volta das 5:00h e nos deparamos com uma fila gigantesca e desanimadora e ainda acompanhada de uma fria garoa, mas isso não foi o suficiente para tirar o nosso entusiasmo.

Enquanto aguardávamos na fila, um senhor nos ofereceu o passeio guiado em um pequeno grupo de 5 pessoas e o valor nos pareceu bem razoável, 20 soles por pessoa e foi um ótimo negócio, por quando chegamos na entrada nos ofereceram o passeio por 25 e 30 soles em grupos de 15 a 20 pessoas.

O guia que nos acompanhou durante o recorrido pelo parque (infelizmente não me lembro o nome dele).
O guia que nos acompanhou durante o recorrido pelo parque (infelizmente não me lembro o nome dele).

Depois de algum tempo e sinuosas curvas, chegamos a Machu Picchu por volta das 6:00 da manhã. Já com os ingressos na mão (que devem ser comprados com antecedência) entramos no parque acompanhados do nosso guia e fizemos um tour que durou cerca de 3 horas e foi rico em informações históricas e bem detalhado. Adoramos!

Machu Picchu no início do dia encoberta pela neblina.
Machu Picchu no início do dia encoberta pela neblina.

Quando o nosso tour guiado terminou, nós saímos do parque e fizemos um lanchinho com itens que levamos na mochila. Quando fomos, em abril/2017 ainda era possível passar o dia todo no parque e ingressar 3 vezes com o mesmo bilhete. As regras foram alteradas recentemente, e agora é necessário escolher o período da manhã ou tarde e já não é possível o reingresso.

Apreciando uma vista inesquecível
Apreciando uma vista inesquecível!

Depois retornamos ao parque, subimos até o mirante e depois percorremos toda a extensão da cidadela novamente. Saimos por volta de 14:30 e vimos que a fila para o ônibus estava quilométrica, então resolvemos lanchar e aproveitar nossa última oportunidade de ingresso e fizemos todo o percurso novamente. No total foram 7 horas e meia de passeio, e apesar das muitas subidas e descidas nas escadas nem percebíamos o cansaço de tão estonteados e tomados pela energia do lugar que estávamos.

Vista de Machu Picchu desde o Mirante
Vista de Machu Picchu desde o Mirante

Ficamos apaixonados pelo lugar e compreendemos o fascínio de tanta gente por Machu Picchu e temos a certeza de que é uma experiência única! Por isso, não deixe de conhecer e fique atento às novas regras que já estão valendo:

– O visitante terá que optar entre dois turnos, o da manhã das 06h às 12h ou da tarde das 12h às 17h30. Lembrando que a subida às montanhas somente pode ser feita pela manhã.

– A contratação de guia de turismo passa a ser obrigatória. O serviço pode ser previamente contratado em agências ou na entrada do parque. Os grupos deverão ter, no máximo, 16 pessoas.

– A visitação será realizada em um dos 3 circuitos fechados: circuito 1 – subida à parte alta e visitação completa à parte baixa; circuito 2 – visitação completa à parte baixa e circuito 3 – visitação abreviada à parte baixa. O visitante já não poderá mais passear aleatoriamente!

– Já não é mais permitido o reingresso.

– Em algumas regiões do parque não será permitida a utilização de pau de selfie por questões de segurança

As lhamas do parque que tem como único objetivo fazer com que os turistas se apaixonem por elas
As lhamas do parque ficam na cidade baixa e tem como único objetivo fazer com que os turistas se apaixonem por elas!

E nosso retorno foi bem tranquilo! Fizemos um lanche em Águas Calientes antes de embarcar num restaurante delicioso na avenida principal. Voltamos em um trem noturno e aproveitamos para descansar pois estávamos acabados, mas felizes, muito felizes e realizados!

Restaurante Mapacho onde recarregamos as energias antes de voltar à Cusco.
Restaurante Mapacho onde recarregamos as energias antes de voltar à Cusco.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *