ant1
Antuérpia Europa

Antuérpia: um pit-stop perfeito na Bélgica

Nós nunca tínhamos ouvido falar da Antuérpia como destino turístico, até começarmos a pesquisar um pouco mais sobre a Bélgica durante o planejamento da viagem.

E a possibilidade de fazer uma parada na cidade e conhece-la surgiu quase que naturalmente. Nosso ponto de partida foi Amsterdã com destino a Bruges, e entre as opções de passagem de trem havia uma com parada na Antuérpia e que pareceu uma ótima ideia.

ant3A fachada da estação de trens da Antuérpia

Aliás, os “pit-stops” em cidades europeias durante o percurso de trem são muito comuns e uma boa pedida para visitar pequenas cidades que não demandam um pernoite. Há quem visite Bruges dessa maneira, mas nós achamos que ali vale muito a pena passar ao menos uma noite, como comentamos em outro post.

E aderindo a ideia do “pit-stop” saímos de Amsterdã de manhã bem cedo às 7h17m e chegamos na Antuérpia às 8h30m para fazer a nossa parada. Na estação de trem há armários próprios para guardar a bagagem em três tamanhos, com preços entre 4 e 5 euros. Escolhemos um grande em que foi possível acomodar toda a bagagem e saímos leves para passear.

ant13Os “lockers” para as bagagens na estação de Antuérpia

E por falar em estação de trem, a da Antuérpia pode ser considerada uma das atrações do local, e é considerada uma das 5 mais belas do mundo. A estrutura original foi construída entre 1895 e 1905 e recentemente modernizada para incorporar elementos contemporâneos à estrutura clássica. Vale a pena conferir a estação antes de sair para conhecer a cidade!

ant1

ant2O interior da estação de trens da Antuérpia

Uma das coisas que torna a Antuérpia um destino perfeito para um pit-stop é que quase todas as atrações podem ser alcançadas a pé e praticamente em linha reta sentido rio, saindo da estação. Iniciamos nosso trajeto na avenida principal com destino a Grote Markt, no caminho paramos para tomar um café e contemplar umas estátuas que haviam no caminho.

ant4Um dos monumentos que encontramos no caminho

Na praça principal da cidade, está localizada a Catedral da Antuérpia, uma das igrejas que mais nos impressionou durante toda a viagem, em razão de sua grandiosidade e da quantidade de obras de arte, muitas de Rubens, o que a faz parecer um museu. A entrada custa 6 euros, mas faz valer o investimento.

ant5A fachada da Catedral da Antuérpia

ant6O interior da igreja e parte das obras de arte ali expostas

ant7O altar com suas proporções gigantescas

ant8Um dos vitrais da Catedral da Antuérpia

Depois demos uma volta na Grote Markt para conferir a estátua que representa uma lenda local. Segundo essa lenda, no rio Escalda vivia um gigante que exigia pagamento a todos que ali navegavam, sob pena de cortar-lhes a mão. E um dia, Brabo, um soldado romano, decidiu enfrentar o gigante, e após uma grande luta conseguiu mata-lo, e logo cortou sua enorme mão e a arremessou no rio, que deu origem à margem, onde hoje se encontra a cidade da Antuérpia ou Antwerpen, que em holandês significa mão arremessada.

ant9A estátua em referência à lenda de Brabo e a torre da Catedral ao fundo

E seguimos em direção ao rio, percorrendo caminhos de pedra e lugares charmosos, até que na margem nos deparamos com um castelo e parte das fortificações da cidade, construídas no século IX, utilizadas para defesa do local, e que se valiam do limite físico estabelecido pelo rio. A paisagem do rio é linda, merece uma caminhada para contemplar a vista e se permitir uma volta ao passado.

ant10Fachada do Forte à beira do rio

ant11

ant12Vista na margem do Rio Scheld

Dali fomos comer um waffle (que pode ser encontrado a cada 5 passos, literalmente) para comemorar nossa chegada e estadia na Bélgica, fizemos uma pequena pausa na Uniqlo, que é uma loja muito boa para de roupas de frio apropriadas para enfrentar o inverno europeu, e seguimos para a estação para pegar nosso trem de volta à Bruges que partiu em torno de 14h.

Observações: os tickets da Belgium Rail (SNCB) podem ser comprados na hora e valem para o dia, em qualquer horário, razão pela qual não é necessário comprar com antecedência. Para quase todos os destinos os trens partem de hora em hora, e custam cerca de 15 euros.
Recomendamos atenção aos nomes das estações, pois os tickets são para zonas e não destinos específicos, contemplando algumas paradas, que tem nomes muito diferentes em flamenco e em francês, o que gera uma certa confusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *